domingo, 28 de agosto de 2011

Sem meias palavras,
quebrou-se o encanto:
dissolveu-se no amargor
de amor tanto.

Ouviu-se um grito,
no silêncio,
mas nada foi dito.

Transformado em rancor,
o carinho se perdeu,
e, nas curvas dos sonhos,
nos espaços em branco... eu.

E no final de tudo ainda
restam umas lágrimas, uns
pesares, que de tão carregados
tento reduzi-los a nada.

Um comentário:

Chapolin disse...

Achei muito bom. A ultima estrofe ficou uma ótima cartada final.