terça-feira, 28 de maio de 2013

Ensaio para S.

O ônibus está cheio. Caminho pelo corredor tentando me desvencilhar dos outros, sentindo minha pele úmida do suor, respirando um ar abafado. É aí que um homem se levanta para seguir seu trajeto, e o assento vazio está próximo de mim o suficiente para que eu possa me sentar. Sinto alívio. Olho para a direita. Percebo que o passageiro ao meu lado é um garoto jovem. Ele não deve ter lá uma idade muito diferente da sua; arrisco uns 25 anos, apesar de nunca ter visto seu rosto. Ele não deve ter uma altura muito diferente da sua; dá pra perceber que é um pouco mais alto que eu, como você. E de repente, assim, do nada, me pego pensando em você, como acontece com frequência. E o ônibus passa por asfaltos tortuosos e saculeja, fazendo nossos ombros se tocarem, coreografando essa dança que desperta meu inquieto pensamento. Já que não te tenho por perto, gosto de imaginar que eles são você. Pego-me olhando para o seu ombro e desejando me recostar neles, enquanto me abraça e me envolve e eu descanso meu rosto no seu pescoço, sentindo sua pele e seu perfume e seu calor e me afogo e. Ah, sou tola por cair nessas abstrações, bem sei, mas é que. Sei lá, só sei que te quero. E suas mãos se movem e acabam chamando minha atenção. Não sei como são as suas, mas desejo senti-las viajando pelo meu corpo, tocando cada centímetro de mim enquanto eu estremeço e você me beija e eu estremeço de novo e mais. Sim, você me beija. Quero seus lábios sobre e sob os meus, quero apertar meus dentes contra seus lábios e puxá-los para mim porque te desejo. Quero sentir seu hálito, sua respiração ofegar contra meu rosto, nossas línguas se tocarem num uníssono de prazer.  Mas a verdade é que ele não é você. A verdade é que você está muito longe, a milhares de quilômetros de mim. Mas não tão distante que eu não possa te sentir aqui, perto, pelo contrário. Te sinto tão perto que você parece estar dentro de mim...

Nenhum comentário: