quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Momento II

Como tu acaricias a minha pele,
alma... Como beijas o meu corpo,
alma... Sinto-me até sufocada
tamanha é a plenitude que me causas.

E teu beijo conhece os meus mais
íntimos anseios, e compreende
as mais profundas ambiguidades
do meu ser... Morro.

E nos meus próprios devaneios
tu me persegues com teu
sentimento aflorado e tua
mania de infinito contra a minha pele... Mania.

3 comentários:

Ricardo Pieralini disse...

Interessante. Vamos trocar leituras.

THALES disse...

muito boa sua poesia, gostei :D
vc escreve bem

Francys disse...

bonitinho