quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Delírio durante alguns minutos naquela sala


Enquanto a chuva caía lá fora, estive cá dentro; enrolada e algemada nos meus próprios pensamentos.
Queria estar perto de alguém... alguém que não existe. Ou existe? Não sei. Mas as ilusões já chegam a encharcar minha mente doente e contemplatória.
Tenho tanta coisa, mas não posso mostrar o que invento ou sinto... é demais para o momento; é demasiado complexo acompanhar meu pensamento. Mas se quiser me ler, deixarei.
Por favor, leia-me. Sou cheia de espaços, mas também cheia de montes altos... Por favor, preencha-me.
Mas eu estou perdida, e não acredito em mais nada. Minhas esperanças transformaram-se em vácuos e a tristeza vem dos lugares mais inesperados.

8 comentários:

S!R Moore! disse...

Oi!
Vim da comu sobre blogs!

O q vc colocou em "Alguém..."
Morriderir!

Vai ao meu tbm?
www.SirMoore.com

Abçs!!!

Victória Andressa disse...

Muito bom, bonito mesmo. Adoro poemas melancólicos, sempre tem sentimento. Acredito que tenha mais sentimento até que os felizes.É algo que sai da alma. Você escreve muito bem, parabéns!

http://tacadesabedoria.blogspot.com/

Liuri Loami disse...

Os melhores e maiores aventureiros da vida sofrem pela diferença.
Não desanime, sério. Estou que nem você há um bom tempo. Também uso um blog para me libertar um pouco de minhas ideias.
A vida é assim, um dia seremos completamente felizes. :)

http://numberpi.blogspot.com/

Antônio Marlos disse...

Me emocionei *-*

Eu não sei se você está numa tristeza profunda ou está num momento único de melancolia...
Muito bom meeeesmo!
:D

Anônimo disse...

legal ^^

Tatiane Rosa disse...

Adorei,eu jah me senti assim

Gutemberghz disse...

Já me senti assim também, achei interessante.

Aniinha (: disse...

qm nunca se sentiu assim né! rs...

visite o meu (:

bjoones