domingo, 17 de janeiro de 2010

Mia

Mia passava horas em sua cama, deitada, de bruços. Não dormia, mas por alguns momentos sentia-se ausente do mundo, imersa nos próprios devaneios, ilusões, pensamentos.
Ela esperava, desde muito tempo, por alguém que não conhecia. Nada sabia sobre a cor dos seus olhos, a graça de seu caráter, o encanto do seu sorriso ou esplendor de sua companhia. Não o via, nem ao menos sabia algo concreto sobre sua existência.
Tinha tanta certeza de que estava em algum lugar, por aí, perdido pelo universo, privado da beleza dos momentos que teriam juntos, dos sentimentos que compartilhariam, da vida que teriam. Angustiava-a a idéia de que estava perdendo tempo, enquanto sua alma gêmea caminhava vazia pelos cantos e becos das cidades, por sentir a falta de quem a completasse, esse alguém que era ela, Mia.
Sentia-o tão perto enquanto estava ali, deitada em sua cama. Era como se ele estivesse presente, embora invisível. Podia mesmo sentir seu toque, seu cheiro, seus beijos. E isso a enlouquecia, de certa forma que Mia só queria sumir do mundo e não mais enfrentar sua vida vazia.
Ela só desejava entrar num quarto escuro e permanecer no chão até que o universo não se lembrasse da sua existência. Queria dormir por todo o sempre, pois nos seus sonhos sabia que o encontraria.
Mia sabia que sua vida não possuía mais sentido, se é que algum dia já teve. A oportunidade de encontrá-lo seria a mesma de ficar frente-a-frente com seu futuro, anseios, desejos; seria a mesma que a preencheria.
Mia era só Mia. Uma garota qualquer, sem cor, sem nada.

11 comentários:

** Srta Sara Fernandes ** disse...

Acho q tdo Mudo tem uma Mia escondida dentro de si ... quem nunca sonhou com sua alma gemea? seu principe encantado? ... sonhos são belos, perfeitos e quase reais ... precisamos ir a luta Mia, sai do quarto escuro e vai dar uma volta, qm sabe vc naum tromba c ele na esquina? rsrs

bjos amei o texto, mtoooooo bom!!

Adubados® disse...

desvaneios no ideal e real.. mt interessante.

Adubados® ...pois nem todo adubo é merda! http://adubados.blogspot.com/

Voadora de Saci disse...

Bem legal

Andressa Deronsio disse...

Ótimo texto!
Parabéns.Sucesso para o blog =)

SO.L. disse...

O que seria do mundo sem a expectativa?

Algo bem melhor, creio eu.

Bruna Landim disse...

texto poético, romântico até! Com uma idealizações escondidas ou descaradas. No entanto, tem uma pitada distinta dos antigos românticos é um aprofundamento da própria Mia, um ar mais subjetivo, menos fantasioso, voltada às fantasias cósmicas, natureza ou coisa do tipo. Se parece até com algumas personagens particulares, enfim... Um bom texto, bem escrito, gênero bacana.

R. Barud disse...

Mia representa o consciente do nosso subconsciente. Por que criarmos cores se não há ninguém que as queiram enxergar? Pelo menos ninguém segundo o nosso próprio ponto de vista? Poucas pessoas escrevem com a alma e adorei saber que você é uma delas, mais do que isto, que você também já leu meu blog. Obrigado.

Ah, sim, quanto ao bookess, esperarei concluir o Destino Incerto para "lançá-lo". E sim suas opiniões (positivas e negativas, claro) sempre serão importantíssimas para o enredo da história! Sinta-se a vontade para comentar!

Beijos.

Andrei Vinicius Morais disse...

A Mia está perdida ;/
Acho que a Mia é um estado que todos nós temos. Nos sentimos assim "sem graça"...

Uma coisa que sempre acontece comigo quando leio seus textos, cada vez mais dá vontade de aparar as personagens A Mia, Luisa, Catarina...Trazer elas pra perto *-*
Muito bom isso :D

Beijos ;*

Palhacinho disse...

Profundo, bem escrito e interessante!
Continue firme no blog porque está bom!

Kellen... disse...

Me identifiquei tanto com essa pessoa...infelizmente...me sinto tao só, sem ninguem pra compartilhar minhas tristezas...

Amandita disse...

Belos seus textos, especialmente timidez - com o qual muito me identifiquei. Continue nos deliciando com suas palavras. Abçs.

Se puder, visite meus blogs:
www.quandoeutinha8anos.wordpress.com
www.chadecasinha.wordpress.com